Riscos da inseminação
11 de setembro de 2019

Quais são os riscos da inseminação artificial?

A inseminação artificial é um procedimento simples, mas requer cuidados específicos para aumentar as chances de sucesso e proporcionar o melhor ambiente possível para a vinda do bebê. Saiba o passo a passo do tratamento:

  1. A mulher ingere medicamentos que contêm hormônios para estimular a ovulação e, assim, obter mais de um óvulo. Essas substâncias atuam no ovário e estimulam o crescimento dos folículos onde estão os óvulos. O óvulo é a célula sexual feminina que, caso seja fecundada pelo espermatozoide, dá origem a um embrião.
  2. Durante cerca de 10 dias, são realizados controles hormonais e ultrassonográficos para avaliar os folículos onde os óvulos se encontram. O médico avalia a data correta para uma última injeção  (hCG) responsável por maturar os óvulos e induzir a ovulação;
  3. A inseminação é realizada 36 horas após o hCG;
  4. No dia determinado para o procedimento, o parceiro deve comparecer horas antes para coleta de sêmen. No caso de inseminação artificial com sêmen de doador, o sêmen é descongelado e devidamente tratado para o procedimento;
  5. Os espermatozoides com maior qualidade são selecionados e colocados em um cateter acoplado a uma seringa;
  6. A mulher deve ficar em posição ginecológica. É introduzido um espéculo e realizada uma limpeza no colo uterino;
  7. Um cateter de silicone é introduzido no útero e os espermatozoides são depositados no ambiente uterino, próximo às trompas, como na fertilização natural;
  8. O procedimento é rápido, durando poucos minutos. Logo após, a mulher deverá permanecer em repouso por cerca de 15 minutos;
  9. Após 15 dias, o teste de gravidez deve ser realizado.

PRINCIPAIS INDICAÇÕES DO TRATAMENTO

Agora que você já sabe exatamente como funciona, deve estar se perguntando: quando a inseminação é indicada? Os principais casos são:

  • Mulheres com até 39 anos de idade;
  • Mulheres que optam pela reprodução independente;
  • Casais homoafetivos.

Também é indicada para casais que passam por essas situações:

  • A mulher possui função ovariana e tubárea preservadas, mas o colo uterino dificulta a entrada dos espermatozoides;
  • Homem com discretas alterações no sêmen que comprometam a motilidade dos espermatozoides ou disfunção ejaculatória, incluindo impotência;
  • Mulher com endometriose leve;
  • Alterações no colo uterino que não permitem a progressão natural dos espermatozoides para a cavidade uterina;
  • Quando não se identifica uma causa clara para o problema de fertilidade do casal.

RISCOS DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

A inseminação artificial é similar ao método natural de reprodução, sendo indicada para casos mais leves de infertilidade.

É um procedimento rápido, de menor custo e com inúmeras vantagens, mas, como qualquer outro método clínico, apresenta alguns riscos.

Algumas complicações que podem acontecer:

  • Gestações múltiplas (desenvolvimento de dois ou mais fetos na cavidade uterina). As chances giram em torno de 15%;
  • Complicações resultantes do tratamento hormonal (o primeiro passo no tratamento é a ingestão ou aplicação injetável de medicamentos para estimular a ovulação. Pode ser que apareçam efeitos colaterais como inchaço e dores de cabeça);
  • Desapontamento do casal no caso de ineficácia (isso pode acontecer por diversos fatores. É importante o casal estar preparado para isso e receber total apoio da clínica, incluindo o psicológico).

QUAIS AS REAIS CHANCES DE ENGRAVIDAR

A inseminação artificial é realizada desde 1970 no Brasil, e já evoluiu em vários aspectos. Além de consolidada e confiável, sua taxa de sucesso chega a 16%, então suas chances não são tão altas!

O QUE PODE AFETAR AS CHANCES DE ENGRAVIDAR

O sucesso da gravidez depende de diversos outros fatores:

  • Primeiro, é preciso identificar a causa do problema da fertilidade para saber se a inseminação é mesmo a melhor solução.
  • Se a mulher tiver mais que 35 anos, as chances de gravidez são significativamente menores.
  • A saúde do casal precisa estar em dia. Já foi comprovado que casais sedentários e que se alimentam mal possuem dificuldade maior para engravidar.
  • A regularidade da ovulação também é importante. Quanto mais regulado for o ciclo menstrual, maiores serão as chances de gravidez. A presença de endometriose ou história de infecção pélvica ou doença nas trompas diminui o índice de sucesso.

Deu para notar que a inseminação artificial é altamente confiável e repleta de vantagens, e que os riscos que as envolvem são irrisórios, bem como as taxas de insucesso. Ela se destaca pelo seu sucesso e por sua similaridade ao método natural de reprodução.

Mas, antes de realizar esse procedimento, é essencial ter uma clínica de confiança ao seu lado como o Ibrra, que acompanha a realização deste sonho com todo carinho e oferecendo total apoio.

Gostou das dicas e quer saber mais sobre os riscos da Inseminação e outros tratamentos? Então, curte nossa página no facebook e fique por dentro de todas as novidades que preparamos para você.

Minha FIV não deu certo, e agora?

FAÇA O DOWNLOAD GRÁTIS DO EBOOK MINHA FIV NÃO DEU CERTO, E AGORA?

Basta preencher o formulário abaixo para recebê-lo em seu e-mail

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

Últimos posts por Dr. Bruno Scheffer (exibir todos)

COMENTÁRIOS