O que é oligospermia e entenda como tratar
28 de julho de 2017

O que é oligospermia e entenda como tratar

Muitos casais passam pelo delicado momento de não conseguir engravidar. A infertilidade ocorre por alguma disfunção no organismo masculino ou feminino e a oligospermia é um dos principais causadores de infertilidade masculina.

Esse diagnóstico é cada vez mais comum, uma vez que suas causas estão inteiramente ligadas aos hábitos e condições da vida moderna, como poluição, estresse e sedentarismo.

Acompanhe este artigo e entenda o que é oligospermia e como ela pode impactar na vida do casal.

O que é oligospermia

É a baixa quantidade de espermatozoide no esperma, ou seja, o número de gametas masculinos é inferior a  15 milhões por mililitro, o que demonstra que o sêmen não é saudável e fértil.

A mulher já nasce com a quantidade necessária de óvulos para a gestação (com o avanço da idade, a quantidade e a qualidade diminuem), enquanto o homem produz espermatozoides durante toda a sua vida. Por esse motivo, homens saudáveis podem ser pais até mesmo na terceira idade.

A oligospermia pode ser temporária ou permanente, e os possíveis tratamentos dependerão dos motivos do problema e do grau em que ele se encontra. Entenda as causas dessa condição.

Principais causas da oligospermia

A vida acelerada que a sociedade atual leva não favorece a saúde e os fatores relacionados à fertilidade. Saiba o que pode ocasionar a oligospermia:

  • Tabagismo;
  • Poluição do ar;
  • Abuso do álcool;
  • Inflamação do testículo (orquite);
  • Varicocele (doença que atinge os vasos testiculares, ocasionando a dilatação das veias do cordão que sustenta os testículos);
  • Consumo excessivo de alimentos gordurosos;
  • Ingestão de anabolizantes;
  • Sedentarismo;
  • Estresse.

Existe tratamento?

Somente uma investigação da infertilidade realizada pelo seu médico poderá indicar se existe tratamento para curar o problema. O exame principal para isso é o espermograma, que demonstra a qualidade do sêmen e as propriedades dos espermatozoides.

Como dito acima, a oligospermia pode ser temporária ou permanente. Se o caso for de grau leve, tendo como causa má alimentação, por exemplo, o médico poderá recomendar mudanças no estilo de vida e medicamentos para aumentar a quantidade de esperma.

Casos mais severos como varicocele podem requerer cirurgia e o uso de medicamentos. Muitas vezes, trata-se de um problema temporário, normalizando-se assim que o organismo volta ao equilíbrio (em casos de estresse, má alimentação ou inflamação, por exemplo).

Se eu for diagnosticado, poderei ter filho?

A oligospermia gera frustração em muitos homens, principalmente naqueles que sonham em ter um filho. Mas é preciso ter calma, pois as alternativas são várias.

Dependendo da intensidade do problema, ainda existem técnicas de reprodução assistida, como a Fertilização in Vitro (incluindo a Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides) e a inseminação artificial.

Outra dica para os casais é congelar os espermatozoides assim que o problema for tratado para uma futura concepção. Dessa maneira, preserva-se a fertilidade masculina fazendo com que os gametas sejam utilizados futuramente.

A infertilidade masculina pode assombrar muitos casais. Mas é importante não se desesperar, e sim, procurar apoio médico para melhor tratamento. Agora que você já sabe o que é oligospermia, leia este artigo sobre azoospermia e fique ainda mais por dentro do assunto!

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

COMENTÁRIOS