Espermograma
17 de julho de 2019

Espermograma: por que você deve fazer?

Quando o médico solicita um exame de espermograma, é natural que alguns homens sintam-se inseguros e que já associem esse pedido à infertilidade. Mas é preciso ter calma. O importante é saber como está a sua saúde. Se você tem dúvidas sobre o espermograma e sua relação com a infertilidade masculina, vem com a gente, que explicaremos tudo neste artigo!

O que é espermograma?

O espermograma é um exame que demonstra a qualidade do sêmen e as propriedades dos espermatozoides.

São analisados volume, viscosidade, liquefação (tempo que o material demora para ficar líquido), coloração e pH do sêmen, concentração de espermatozoides, motilidade (capacidade de locomoção), dentre outros fatores.

Principais motivos para realizar espermograma

O resultado do espermograma pode indicar diversos fatores da saúde masculina. Normalmente, é solicitado pelo médico após um exame clínico, por isso, não possui periodicidade determinada para ser realizado.

Os principais motivos que levam a solicitação do exame são:

  • Avaliação da fertilidade, quando um casal está tentando engravidar, mas apresenta dificuldades;
  • Para monitorar a fertilidade, após uma cirurgia de vasectomia;
  • Com o intuito de averiguar condições do testículo e das glândulas seminais;
  • Para analisar condições da próstata.

Como o exame é realizado?

A execução do exame é muito simples. O paciente deve ficar de três a cinco dias sem manter relações sexuais e outra forma qualquer de ejaculação. O sêmen é colhido num frasco por meio da masturbação.

Normalmente, são solicitados dois exames com 15 dias de intervalo. O médico compara os dois exames para realizar um diagnóstico. Caso os resultados sejam muito diferentes, é solicitado um terceiro exame, para não deixar dúvidas.

Confira alguns valores de referência dos parâmetros seminais:

  • Volume: igual ou maior que 1,5 ml;
  • pH: entre 7,2 e 8,0;
  • Cor: branco opalescente;
  • Liquefação: igual ou maior que 30 minutos e completa;
  • Viscosidade: normal;
  • Concentração espermática: igual ou maior que 15 milhões de espermatozoides por mililitro de sêmen;
  • Número total de espermatozoides: igual ou maior que 39 milhões de espermatozoides por ejaculação;
  • Motilidade: 32% ou mais de espermatozoide móveis progressivos e 40% ou mais de espermatozoides móveis totais;
  • Morfologia: 4% ou mais com formas normais;
  • Vitalidade: 58% ou mais formas vivas.

Mas, lembre-se: somente um médico especialista poderá interpretar seu exame de maneira correta e tirar conclusões consolidadas. Ele saberá avaliar o contexto do seu caso, se o exame foi feito em condições adequadas e em laboratório de confiança. Todos esses pontos são importantes na hora de avaliar o resultado do exame e o que deverá ser feito após.

Caso o exame indique infertilidade, fique tranquilo, pois existem vários tratamentos para a infertilidade masculina, e um deles é a FIV, técnica altamente confiável e segura de fertilização. O Ibrra possui profissionais altamente capacitados e acolhedores, que poderão avaliar seu caso e as melhores alternativas para você e sua família.

Se ainda ficou com dúvidas ou quer comentar algo sobre o assunto, deixe seu comentário ou entre em contato conosco!

Dr. Bruno Scheffer

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

COMENTÁRIOS