INFERTILIDADE MASCULINA: QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS FATORES CAUSADORES
24 de julho de 2017

Infertilidade Masculina: Quais são os principais fatores causadores

A infertilidade masculina é uma situação que afeta muitos homens. Mas, mesmo assim é normal achar que só acontece com você. A principal pergunta que vem à cabeça é: “o que há de errado?”.

As causas diferenciam-se, mas a ansiedade, o receio e a angústia são as mesmas em todos eles. A notícia boa é que existem tratamentos cada vez mais avançados para essas condições. Entenda como é possível identificar esse diagnóstico e quais são as principais causas. Vem com a gente!

Principais causas da infertilidade masculina

A condição pode ser ocasionada por uma doença única, porém o mais comum é a combinação de diferentes fatores que, associados, levam à redução do potencial fértil.

As principais são:

  • Varicocele (apontada como a principal causa de diminuição da fertilidade): doença que atinge os vasos testiculares, ocasionando a dilatação das veias do cordão que sustenta os testículos;
  • Idade avançada;
  • Redução da produção do hormônio masculino (ocorre em cerca de 15% dos homens de 50 a 60 anos, podendo chegar a 50% dos homens na faixa dos 80 anos);
  • Testículos criptorquídicos: testículos que permanecem fora da bolsa testicular;
  • Radioterapia e quimioterapia;
  • Ausência de espermatozoides;
  • Fibrose cística: doença genética que impede a saída de espermatozoides;
  • Alterações genéticas;
  • Hábitos de vida não saudáveis (afetam na produção de espermatozoides): fumo, consumo de bebidas alcoolicas, sedentarismo e uso de anabolizantes;
  • Estresse;
  • Disfunção erétil (impotência sexual).

Como identificar a infertilidade masculina?

Diferentemente do que muitos pensam, não existem sinais óbvios. Muitos possuem vida sexual normal e o esperma não aparenta problemas. Os sinais raros de infertilidade masculina que podem aparecer são:

  • Protuberância nos testículos;
  • Diminuição dos pelos no corpo (sinalizando desequilíbrio hormonal);
  • Dificuldade em manter ereção;
  • Desenvolvimento de mamas;
  • Disfunção erétil.

Quando um casal está tentando engravidar há mais de um ano, é fundamental que procure um médico. Ele solicitará exames para identificar as causas reais e o melhor tratamento.

O primeiro exame solicitado é o espermograma, em que se avalia o sêmen. São observadas características como cor, odor, viscosidade, volume e PH. Identificam-se concentração, motilidade e morfologia dos espermatozoides.

Principais tratamentos para infertilidade masculina

O tratamento dependerá da causa e do grau da infertilidade masculina. Para casos mais leves, a Terapia de Reposição Hormonal Masculina é considerada, sendo a forma menos invasiva de tratamento. Os benefícios são muitos: perda de peso, melhora da libido, aumento da densidade óssea e da massa muscular.

Os tratamentos cirúrgicos considerados para os homens envolvem principalmente o tratamento de varicocele ou reversão da vasectomia. Para os casos mais severos, indica-se a Fertilização In Vitro (FIV) ou a Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI), um procedimento no qual um único espermatozoide é injetado dentro do óvulo usando-se uma agulha de extrema precisão.

O mais importante é receber um diagnóstico confiável de um médico especialista, a fim de que ele possa instruir o casal da melhor maneira possível.

A infertilidade atinge cerca de 15% dos casais. A dificuldade de ter um filho pode ter origem nas condições do homem ou da mulher. Leia este artigo sobre infertilidade feminina e saiba mais!

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

COMENTÁRIOS