Infecção urinária na gravidez
25 de junho de 2018

Infecção urinária na gravidez, o que fazer?

A infecção urinária é, infelizmente, uma das doenças mais conhecidas entre as mulheres. Algumas possuem sintomas frequentes, outras têm infecção urinária na gravidez, ou mesmo um quadro crônico da doença. Normalmente, as mulheres reconhecem facilmente os sintomas, mas não sabem o que é, de fato, essa disfunção.

O que é a infecção urinária?

Explicando de maneira simples, a infecção urinária, como o próprio nome diz, é a infecção do trato urinário — composto pelos rins, os ureteres, a bexiga e a uretra —  por microorganismos.

Também conhecida no meio médico como ITU – Infecção do Trato Urinário, normalmente ocorre na bexiga, mas, se não for devidamente tratada, pode causar danos aos rins e aos demais órgãos.

Se você está se perguntando por que a infecção urinária é ainda mais comum nas grávidas e o que deve ser feito nesses casos, contaremos para você logo a seguir. Ainda desvendaremos as causas, os sintomas e o que fazer para evitá-la.

Sintomas da infecção urinária

Identificar esse problema não é difícil. O primeiro sintoma mais aparente é a cor e o odor do xixi. Normalmente, a urina fica mais escura (nos casos mais graves, contém até sangue) e com um odor forte e desagradável. Outro sinal marcante da infecção urinária é a vontade insaciável de urinar (muitas vezes, não sai xixi, ou sai muito pouco). Além disso, pode causar:

  • Ardência e dor ao urinar;
  • Febre;
  • Corrimento;
  • Perda involuntária de urina;
  • Dores na bexiga e na pelve;
  • Desconforto;
  • Irritação vaginal ou sensibilidade.

Entenda, agora, quais são as causas e, então, descubra por que ocorre com tanta frequência a infecção urinária na gravidez.

Causas da infecção urinária e por que acomete tantas grávidas

Como você viu, na maioria das vezes, a infecção é causada por bactérias. A principal contaminação ocorre devido ao formato do canal da uretra que, naturalmente, pode ser mais curto, facilitando, assim, a entrada de microorganismos.

O aumento da umidade também favorece a proliferação de bactérias. Em épocas de calor, por exemplo, a infecção urinária torna-se ainda mais comum. Relações sexuais também podem ser a causa do problema. Sabe-se que o estresse também é uma dos principais determinantes para a presença da infecção urinária.

Infecção urinária na gravidez

Com a gravidez, ocorrem transformações hormonais bruscas, e o pH vaginal é modificado, influenciando a proliferação das bactérias. Além disso, a umidade da vagina e a compressão dos ureteres aumentam as possibilidades da grávida contrair a doença.

Tratamentos e remédio caseiro para infecção urinária

Normalmente, o médico indicará um medicamento específico para tratamento da bactéria identificada. Mas o grande aliado em qualquer caso da doença é o consumo demasiado de água, para limpar o organismo.

O remédio caseiro mais conhecido e comum é o suco de cranberry. Essa fruta contém uma substância que dificulta a passagem de bactérias da flora intestinal para o sistema urinário. Você pode comprar cápsulas desse fruto ou o suco pronto. A fruta é muito difícil de ser encontrada no Brasil, pois é originada dos Estados Unidos.

Para evitar a infecção urinária, os médicos recomendam tomar muito líquido, urinar antes e após a relação sexual, sempre limpar o xixi no sentido de frente para trás, evitando que as bactérias da região anal entre em contato, fazer a higiene íntima diariamente e não usar roupas apertadas, especialmente em época de calor.

Agora que você entendeu como tratar a infecção urinária na gravidez, confira alguns cuidados importantes a serem adotados em sua rotina durante as primeiras semanas de gravidez.

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

COMENTÁRIOS