biópsia testicular
17 de setembro de 2019

Biópsia Testicular: Como funciona?

A biópsia testicular (TESE) ocorre, geralmente, como preparação para a Fertilização In Vitro (FIV) ou Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI).

Essa técnica ainda pode ser considerada como um dos exames fundamentais realizados para ajudar a determinar a causa da infertilidade masculina, indicando fatores como a ausência de esperma no sêmen.

São muitos os fatores que envolvem esse procedimento, por isso, realizamos este artigo especialmente para você tirar todas as suas dúvidas! Confira com a gente!

O que é a biópsia testicular

A biópsia testicular é um procedimento cirúrgico para obtenção de espermatozoides do testículo, normalmente para realização da FIV ou ICSI em homens que não apresentam gametas em seu esperma.

Quando a biópsia testicular é indicada

Normalmente as técnicas de biópsia testicular são indicadas para pacientes azoospérmicos, ou seja, que não apresentam espermatozoides em seu esperma, condição detectada em um exame de espermograma, sendo necessária uma busca com maior precisão.

A biópsia pode ser contraindicada para pacientes com doenças testiculares graves. Mas, no geral, não oferece riscos.

Como é realizada

O procedimento é realizado sob sedação venosa consciente, acompanhado por urologistas e sem desconforto para o paciente, que recebe alta em 30 minutos.

Os espermatozoides móveis coletados são imediatamente congelados e mantidos em bancos de nitrogênio a -196ºC e poderão ser utilizados no caso da realização de uma FIV (Fertilização In Vitro).

Confira o passo a passo:

  1. Exames fundamentais: o paciente deverá realizar exames, dentre eles o FSH, para avaliar o prognóstico de encontrar espermatozoides na biópsia;
  2. Sedação: no dia agendado para a realização do procedimento, o paciente é levado ao bloco cirúrgico, onde é realizada uma sedação venosa consciente, executada por um anestesista;
  3. Biópsias: a equipe de urologistas realiza micro biópsias em um ou em ambos os testículos, e as amostras são levadas ao laboratório;
  4. Avaliação:  no laboratório a equipe de embriologia avalia, por meio de um microscópio, a existência de espermatozoides móveis;
  5. Congelamento: os espermatozoides são congelados em várias amostras.

A amostra de biópsia é analisada por meio de um microscópio para identificar qualquer anormalidade na produção de esperma ou em sua maturação. Os resultados são disponibilizados, geralmente, em 2 a 4 dias.

Diferentemente da Aspiração do Epidídimo, na qual uma fina agulha é inserida no Epidídimo do paciente para aspirar seu conteúdo a fim de se encontrar espermatozoides, na biópsia testicular uma pequena incisão é feita para retirada de um fragmento do testículo, que será levado ao microscópio para identificação de espermatozoides.

Neste vídeo o Ibrra explica questões relacionadas a alterações no sêmen e nos espermatozoides e oferece mais informações sobre os procedimentos realizados nesses casos.

Disponibilizamos todos os recursos necessários para você realizar seu sonho de maneira segura e especial. Você pode contar com a nossa equipe 24 horas por dia 07 dias por semana pelo telefone exclusivo (31) 98432-7455 ou em nossa instituição.

Você ainda tem dúvidas sobre o assunto? Deixe suas perguntas nos comentários ou entre em contato conosco. Adoraremos ajudar você!

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

Últimos posts por Dr. Bruno Scheffer (exibir todos)

COMENTÁRIOS