Coito programado
15 de janeiro de 2018

Coito Programado: o que é e como pode ajudar em casos de infertilidade

Coito programado: o que vem à sua cabeça sobre o significado dessa expressão? Se você, assim como muitas pessoas, acredita que se trata de combinar a hora e o dia exatos para a relação sexual, saiba que não é bem assim. Um dos aspectos mais importantes para facilitar a vinda do neném é a naturalidade e a tranquilidade do casal em relação a esse momento.

O coito programado é um procedimento simples e com boas chances de sucesso, ideal para casais que ainda não obtiveram qualquer diagnóstico de infertilidade, mas estão enfrentando dificuldades. Saiba tudo sobre esse método logo a seguir.

Afinal, o que é coito programado?

O coito programado é uma alternativa que busca estimular a produção de óvulos com o uso de medicamentos. Dessa maneira, facilitam a fecundação, já que estimulam o desenvolvimento de folículos no ovário. Nesse processo, até três folículos adquirem maior desenvolvimento (dominantes) e poderão estar aptos à liberação do óvulo.

Entenda melhor o passo a passo do procedimento:

  1. A mulher utiliza medicamentos (orais ou injetáveis) no início do ciclo menstrual — no 2° ou 3° dia da menstruação. Para dosagem do medicamento e o tipo de administração devem ser considerados os fatores individuais da paciente;
  2. Após a administração dos medicamentos, até 3 folículos dos ovários são estimulados  — folículos são cavidades preenchidas por fluidos nos ovários. Cada folículo contém um óvulo não desenvolvido;
  3. Após comprovação do estímulo por meio de exame e acompanhamento médico, a mulher recebe uma dose do hormônio hCG, que será responsável por estimular a ovulação em um período de 36 a 40 horas depois;
  4. Feito isso, o casal se permite relações sexuais nesse período de tempo para aumentar as chances de gravidez — daí o nome “coito programado”.

O coito programado dura, em média, 15 dias com acompanhamento médico e, entre as etapas, há a realização de ultrassom sequencial (diária) para avaliar a evolução do óvulo e, assim, definir o dia ideal para a relação.

Lembrando que a mulher pode sentir certo desconforto abdominal, cólicas leves, mudança de humor e inchaço por alguns dias após a estimulação ovariana, mas os riscos são irrisórios desde que o histórico da paciente seja devidamente considerado.

Quando é indicado e quais as chances de sucesso?

É indicado para casais que estão tentando engravidar há um bom tempo, mas não conseguem; são casais que possuem a chamada infertilidade não aparente: tentam, não conseguem, mas não há uma causa pontual para isso.

O coito programado é uma técnica para tratamento da infertilidade considerada barata e acessível. Saiba as taxas de sucesso:

  • Aproximadamente 45% em casais jovens com boa saúde;
  • 25 a 30% em casais com idade acima de 35 anos;
  • Geralmente são realizados três ciclos do coito programado.

O coito programado é indicado para casais mais jovens que não têm alterações laboratoriais importantes. Por exemplo, o espermograma deve ter espermatozoides com concentração, motilidade e morfologia normais. As tubas devem estar comprovadamente desobstruídas (verificadas pela histerossalpingografia), dosagens hormonais e testes imunológicos em perfeita harmonia.

Se você está em busca de tratamentos para a infertilidade além do coito programado, confira este post que fizemos com os 5 tratamentos para engravidar que você precisa conhecer.

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

COMENTÁRIOS