A aparência do sêmen pode falar sobre a Fertilidade Masculina
11 de setembro de 2017

A aparência do sêmen pode falar sobre a Fertilidade Masculina

Você sabia que a aparência do sêmen diz muito sobre a saúde do homem e as condições da sua fertilidade? É isso mesmo. Qualquer alteração de cor, cheiro e consistência deve ser considerada para análise de um médico.

A saúde íntima masculina pede cuidados como higiene adequada, uso de camisinha e visitas periódicas ao urologista. A imprudência com a saúde pode gerar consequências graves e irreversíveis. Entenda o que é o sêmen, qual a aparência ideal que ele deve ter e o que as principais alterações podem representar.

O que é sêmen?

O sêmen, também conhecido como esperma, é um fluido orgânico produzido pelos órgãos sexuais masculinos dos humanos e também animais machos de várias espécies. Ele contém de 60 a 300 milhões de espermatozóides, além de outras secreções.

A aparência correta do sêmen

Normalmente, o sêmen é cremoso, esbranquiçado e espumoso. É normal a cor variar entre transparente e branco, principalmente após um período de abstinência sexual ou entre as ejaculações. O cheiro e a consistência (ralo ou mais espesso) também variam de homem para homem.

A quantidade de esperma em cada ejaculação depende, basicamente, do tempo de abstinência entre duas ejaculações. Pode variar de 1,5 a 5 ml após um período de 36 a 48 horas de abstinência. O paciente precisa conhecer o próprio organismo e observar qualquer alteração anormal.

O volume de líquido da ejaculação é composto por secreções das vesículas seminais (60%), da próstata (30%), das glândulas acessórias (9%), e pelo espermatozoide (1%).

Você sabia que o desejo sexual também interfere na ejaculação? A excitação sexual estimula maior viscosidade e secreção das glândulas envolvidas na produção do sêmen, fatores que podem aumentar a quantidade de esperma no momento da ejaculação.

O que algumas alterações no esperma podem significar

Algumas mudanças podem denunciar disfunções ou doenças, como:

Esperma amarelado e com consistência mais gelatinosa

O esperma com essa coloração pode ser um indício de problemas na próstata, como a prostatite, uma espécie de infecção no local. O fluído fica amarelado devido a presença de uma secreção purulenta chamada de piospermia.

Mas, afinal o que é a prostatite?

A prostatite é um termo que designa a inflamação da próstata que geralmente é causada por uma infecção. Os principais sintomas são: febre, dor para urinar, dificuldade para urinar e dor na região pélvica.

Esperma grosso

O esperma com essa consistência pode indicar que existem inflamações ou malformações no funcionamento prostático e ou nas vesículas seminais fazendo com que a composição se modifique. O esperma pode apresentar alteração de suas proteínas ou até mesmo da quantidade de água.

Esperma ralo ou fino

Existem vários motivos que tornam o esperma ralo ou fino, entre eles temos, por exemplo: estresse, má alimentação e tempo entre as ejaculações. Não necessariamente o esperma ralo está relacionado com a infertilidade, pode ser apenas uma alteração momentânea.

Escuro ou vermelho vivo

O esperma vermelho vivo ou com uma cor mais escura indica que há presença de sangue no sêmen, a chamada hemospermia. Isso pode acontecer após procedimentos cirúrgicos, ou devido a alguma inflamação ou trauma nos órgão sexuais.

Quantidade de sêmen reduzida

A redução da quantidade de sêmen pode acontecer por vários motivos, entre eles, temos:

  • Ejaculação retrógrada: quando durante a ejaculação o sêmen flui em direção a bexiga ao invés de sair pela uretra.
  • Ausência de vesículas seminais: são raros os casos, mas quando aparecem podem levar provocar distúrbios na ejaculação ou mesmo fazer com que ela não aconteça. Assim, a quantidade de sêmen pode ser reduzida ou até zerada.
  • Obstrução de dutos ejaculatórios: é uma causa mais rara da redução de sêmen, mas que pode ser corrigida cirurgicamente.

Diminuição da força do jato

Essa diminuição é causada pela redução gradual dos níveis do hormônio masculino testosterona. A diminuição de jato está relacionada com problemas na ejaculação.

Infertilidade e a aparência do sêmen

Como vimos, nem toda alteração na aparência do sêmen é um sinal de infertilidade. Cada caso precisa ser analisado e acompanhado por um médico. A infertilidade masculina é cercada de mitos. Entre eles, há o que diz que homens que ejaculam em maior quantidade são mais férteis, mas isso não é verdade. Pelo contrário, o volume elevado na ejaculação pode prejudicar a fertilidade masculina, basicamente, pela diminuição de concentração de espermatozoides no sêmen.

Como saber se um homem é estéril

Há quem ache que a infertilidade se deve ao esperma ralo, há quem pense que o motivo é um esperma muito grosso. Mas, o fato é que a única maneira de saber se um homem é estéril ou se está com a fertilidade comprometida é por meio de um exame chamado espermograma.

O que é o espermograma?

O espermograma é um exame específico e confiável que é capaz de demonstrar a quantidade e a qualidade dos espermatozoides presentes no sêmen. Para o exame é necessário que o homem colha uma amostra de sêmen por meio da masturbação, seguindo as orientações médicas da OMS (Organização Mundial da Saúde). O exame pode ser pedido por urologistas e também por médicos especialistas em reprodução humana.

O espermograma concede uma avaliação completa, pois faz dois tipos de análises:

Análise macroscópica, que verifica:

  • Volume em mL: verifica a quantidade em mililitros de líquido seminal colhido;
  • pH: analisa se o líquido seminal e muito ácido ou básico;
  • Cor e aspecto: analisa cor, aspecto e o cheiro;
  • Tempo de liquefação: mede o tempo que o sêmen leva para sair do estado gelatinoso para o estado líquido
  • Viscosidade: mede a aderência do líquido seminal;

Análise microscópica

  • Concentração por mL: mede a quantidade de espermatozóides contidos em 1ml de líquido seminal;
  • Concentração total: mede a concentração total de espermatozóides da amostra;
  • Morfologia: é uma análise completa do formato dos espermatozoides.
  • Concentração de leucócitos: verifica se há presença de leucócitos indicando uma infecção;
  • Concentração de células redondas: indica se há a presença de células indiferenciadas, resultadas da espermatogênese incompleta, na amostra.
  • Motilidade:avalia como o espermatozóide se move;
  • Vitalidade: analisa a quantidade de espermatozoides vivos na amostra.

Vale lembrar que a condição de infertilidade do casal é caracterizada quando após um ano de tentativas frequentes sem uso de métodos contraceptivos não há gravidez. As principais causas de infertilidade masculina estão associadas à mobilidade e qualidade dos espermatozoides ou à varicocele, marcada pelo desenvolvimento de varizes na bolsa escrotal.
Se além de entender a aparência do sêmen você quer obter mais informações sobre o espermograma no diagnóstico da infertilidade masculina, leia este artigo. Você também pode buscar auxílio dos nossos especialistas para checar a sua saúde íntima entrando em contato.

SAIBA MAIS SOBRE A FIV

Baixe o ebook gratuito  “FIV: Tudo o que você precisa saber sobre o tratamento“.
É só preencher o formulário a seguir para receber o material por email.

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

Últimos posts por Dr. Bruno Scheffer (exibir todos)

COMENTÁRIOS