Exame AMH ou Dosagem do Hormônio Anti-mulleriano - Por que preciso fazer?
2 de outubro de 2017

Exame AMH ou Dosagem do Hormônio Anti-mulleriano – Por que preciso fazer?

Diferentemente das gerações anteriores, nos dias de hoje, os casais estão adiando o sonho de ter um bebê. As mulheres escolhem ter filhos mais tarde para conquistar outros caminhos, como a realização profissional. O avanço da medicina permite que casais definam o melhor momento para serem pais e ainda possibilita essa realização para muitos que possuem problemas de infertilidade.

A Fertilização In Vitro (FIV), por exemplo, existe há anos e é a mais famosa das técnicas de reprodução humana. Isso porque suas taxas de sucesso são altas e várias vidas foram possíveis por meio desse procedimento. Mas para que o sonho seja realizado por meio da FIV, são necessários alguns cuidados, como o exame amh.

O que esse nome diferente representa e como ele é importante para a concepção você descobre neste artigo.

Exame AMH ou Hormônio anti mulleriano: o que é?

Para saber o conceito, é preciso entender uma coisa: toda mulher possui uma reserva de óvulos em seus ovários:

  • Quando um bebê do sexo feminino nasce, possui 2 milhões de óvulos (em estado de folículos primordiais);
  • Após crescer e se desenvolver, a menina menstrua: na primeira menstruação (menarca), passa a ter aproximadamente 500 mil óvulos;
  • A partir desse marco, a cada ciclo menstrual, a mulher perde, em média, 1.000 óvulos;
  • Aos 38 anos, a mulher possui apenas 25 mil óvulos e, aos 50, praticamente 0.

Então, o hormônio anti mulleriano (HAM ou AMH) é uma substância produzida pelas células dos ovários responsável por controlar o desenvolvimento dos folículos. Por isso, é hoje o melhor marcador da reserva ovariana (a quantidade de óvulos que a mulher dispõe em seus ovários).

O que é o exame ahm e o que ele indica?

O teste é feito por um simples exame de sangue, que pode ser realizado a qualquer momento do ciclo menstrual da mulher. Quanto mais óvulos, melhores são as chances de engravidar. Existem alguns valores referenciais. Lembrando que cada laboratório possui um padrão de referência para esses níveis e que apenas um médico pode analisar com precisão o exame:

  • AMH < 0,16 ng/ml: MUITO BAIXA RESPOSTA.
  • AMH entre 0,16 e 1,0 ng/ml: BAIXA RESPOSTA.
  • AMH entre 1,0 e 2,0 ng/ml: MÉDIA RESPOSTA.
  • AMH entre 2,0 e 4,0 ng/ml: ALTA RESPOSTA.
  • AMH > 4,0 ng/ml: MUITO ALTA RESPOSTA.

Por que o exame amh é fundamental para a FIV?

O hormônio anti-mulleriano é usado para o cálculo da dosagem das medicações necessárias para a indução da ovulação. Analisando o exame, o médico poderá adequar os medicamentos de acordo com a resposta obtida.

Exemplo: se a resposta estiver muito baixa, a estimulação pode ser maior, mas se estiver alta, a indução da ovulação precisa ser realizada com mais cautela para evitar problemas como a Síndrome do Hiperestímulo Ovariano. Isso aumenta progressivamente as taxas de sucesso do procedimento.

Além de ser importante para a FIV, o exame amh ainda auxilia a decisão da mulher sobre realizar tratamentos de preservação da fertilidade, como por exemplo o congelamento dos óvulos.

Se você deseja entender tudo sobre a FIV, aqui você encontra detalhes sobre o assunto.

Dr. Bruno Scheffer

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

COMENTÁRIOS