Criopreservação o que é
31 de julho de 2018

Criopreservação: o que é e como funciona na manutenção da fertilidade

A vida é mesmo uma caixinha de surpresa, e o tempo passa muito rápido. Quando assustamos, chegamos aos 30 anos. Em um pulo, completamos os 40 anos, e entramos em uma nova fase. Sabemos que nem sempre estamos prontos para tomar decisões determinantes em nossas vidas, como ter ou não um filho, e a criopreservação é uma forma de preservar um sonho que pode despertar em você.

São vários os motivos que levam as pessoas a optarem pela criopreservação. Seja pela vontade de adiar a maternidade, pelo desejo de realizar uma reprodução independente ou de manter a fertilidade para se, porventura, escolher ter um filho, esse método traz benefícios e grandes possibilidades. Vamos conhecê-lo?

O que é criopreservação?

Esse procedimento costuma ser atrelado à reprodução humana, e você vai entender por quê. A criopreservação é um procedimento que permite conservar células a temperaturas baixas por meio de nitrogênio líquido. Dessa maneira, você consegue preservar, inclusive, gametas femininos (óvulos), masculinos (espermatozóides) e embriões para uso posterior. 

Como a criopreservação é realizada?

Vamos começar pela criopreservação de óvulos, também conhecida como congelamento de óvulos. O primeiro passo é a produção de óvulos por meio da estimulação dos ovários, que é feita pela ingestão de hormônios. Com isso, a paciente passa pelo procedimento de coleta de óvulos. Após retirados, os óvulos são levados para laboratórios, vitrificados e mantidos em nitrogênio líquido.

A vitrificação é considerada uma técnica de congelamento de embriões 70 vezes mais rápida do que as demais, visto que, no congelamento convencional, a velocidade da queda de temperatura é de 0,3ºC por minuto, enquanto na vitrificação é de 23ºC/minuto. Ela proporciona um estado vítreo ao embrião sem ocasionar danos às células.

A criopreservação de embriões permite restringir o número de embriões a serem transferidos para o útero posteriormente. O congelamento de embriões é realizado comumente na Fertilização In Vitro, cujas etapas são:

  • Estimulação ovariana;
  • Punção e fecundação: amadurecimento de óvulos por meio de mais uma injeção de hormônio para que sejam coletados e levados ao laboratório para contato com os espermatozoides;
  • Transferência embrionária: óvulos são inseridos no útero (a quantidade é decidida rigorosamente pelos especialistas);
  • Os pré-embriões excedentes e de boa qualidade são congelados.

No caso da criopreservação de espermatozóides (ou congelamento de sêmen), os gametas masculinos são coletados principalmente por meio da masturbação. Os homens que possuem ausência de espermatozóides podem passar pela “punção testicular” (procedimento que retira os espermatozóides diretamente dos testículos ou dos epidídimos usando uma agulha).

As principais indicações da criopreservação de espermatozóides são:

  • Pacientes que desejam fazer vasectomia, mas gostariam de preservar sua fertilidade para futura concepção;
  • Pacientes com câncer, antes de iniciar tratamento com radioterapia ou quimioterapia;
  • Antes de submeter-se a procedimentos no órgão reprodutor masculino, como a remoção total ou parcial do testículo, por exemplo.

Quer saber mais sobre as principais indicações da criopreservação de óvulos e outras curiosidades sobre o procedimento? Confira nosso artigo “Congelamento de Óvulos: por que devo fazer” e tire todas as suas dúvidas!

Dr. Bruno Scheffer

Dr. Bruno Scheffer

Médico Pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Master em Reprodução Humana Pela Faculdade de Medicina da Universidade de Valência (Espanha). Especialista em Medicina Reprodutiva pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha). Editor chefe do Tratado de Reprodução Humana Assistida. Membro Editorial do Jornal Brasileiro de Reprodução Assistida. Membro do European Society of Human Reproduction and Embryology
Dr. Bruno Scheffer

Últimos posts por Dr. Bruno Scheffer (exibir todos)

COMENTÁRIOS